segunda-feira, 9 de junho de 2014

5 dicas para preparar ração caseira para cães

Como já comentado aqui anteriormente, há muitos benefícios para os cães quando preparamos a comida em casa. Talvez o maior deles seja a nossa confiança e tranquilidade em saber que nosso amigão está se alimentando com uma dieta natural e balanceada, com tudo aquilo que ele precisa para ficar feliz e saudável.


5 dicas para preparar ração caseira para cães
5 dicas para preparar ração caseira para cães

Muitos proprietários optam em alimentar os seus cães com uma dieta natural, baseada em ingredientes frescos. O motivo, em geral, é evitar os ingredientes processados das rações industrializadas, que contêm ainda diversos aditivos químicos, como conservantes e corantes, que podem ser prejudiciais à saúde do animal. Considerando que a importância de se oferecer uma alimentação natural, baseada em ingredientes frescos e orgânicos não é apenas pela qualidade dos ingredientes, mas também pela possibilidade de balancear adequadamente a dieta dos nossos amigos peludos, vamos listar aqui 5 dicas para preparar ração caseira para cães.

Dieta balanceada


Talvez o fator mais importante de todos seja balancear a dieta da maneira adequada. Já que podemos, através da preparação da comida com ingredientes frescos, oferecer ao nosso cão a melhor alimentação no que diz respeito a qualidade, não há motivos para fazê-lo "mais ou menos". Se a quantidade de nutrientes não estiver em equilíbrio, os cães podem começar a sofrer de deficiências nutricionais muito rapidamente, em especial no caso dos filhotes ou dos cães idosos.

Ingredientes básicos


O ingrediente básico para a preparação de uma alimentação caseira para cães é a carne, crua ou cozida. Os tipos de carne mais indicados para a preparação das refeições é a carne bovina, de cordeiro e de frango. A carne de peixe também pode ser oferecida ocasionalmente, mas com menor frequência e quantidade. É importante saber que o teor máximo de gordura da carne deve estar entre 15 e 20% e a carne deve ser apropriada para o consumo humano.

Vegetais


Os vegetais, na maior parte os legumes, representam cerca de 1/4 da refeição que deve ser oferecida aos cães e são responsáveis por fornecer vitaminas, fibras e minerais. O mais indicado é oferecer esses alimentos levemente cozidos, preferencialmente no vapor, para que esses nutrientes sejam bem absorvidos. Os legumes mais indicados para a alimentação dos cães são: abóbora (moranga), abóbora paulista, cenoura, abobrinha, brócolis, couve-flor, ervilha, batata-doce, couve, couve-de-bruxelas e feijão-verde.

Ingredientes a evitar


Vegetais como cebola, tomate, feijão cru, acelga, alho e rabanete devem ser evitados. Também devem ser evitados, ou limitados a uma pequena quantidade os carboidratos, como milho, trigo, arroz e batatas, que apresentam pouco valor nutritivo para os cães. O motivo pelo qual as indústrias de ração acrescentam esses produtos em grande quantidade à ração é, em geral, a redução dos custos de produção. Esse tipo de alimento pode ser considerado como a principal causa de algumas doenças nos cães, como por exemplo a obesidade, doenças renais e diversos tipos de alergias.

Complementação com Premixes


Muitos proprietários que alimentam seus cães com uma dieta natural feita em casa, utilizam o premix vitamínico e mineral para uma suplementação adequada. Os suplementos podem ser úteis pois tornam o preparo das refeições mais simples, sem a necessidade de acrescentar uma maior variedade de ingredientes para suprir todas as necessidades vitamínicas e minerais dos cães. Os mais utilizados são os complementos vitamínicos e minerais em pó, que podem ser adicionados em todas as refeições. Algumas dietas também podem ser deficientes em Vitamina E, e é comum entre os proprietários utilizarem complementos para equilibrar essa deficiência, como por exemplo o óleo de peixe, rico em ômega 3 e ômega 6.

Variando o cardápio


Não há porque se preocupar por estar oferecendo uma dieta variada ao seu cachorro. Na verdade, é muito importante que haja variedade nos ingredientes oferecidos ao longo de um período de tempo. Quando falamos de uma dieta balanceada, não estamos sugerindo que toda refeição deve conter exatamente os mesmos ingredientes, e nem estar matematicamente equilibrada. O mais importante é que o seu cachorro receba todos os nutrientes necessários, por exemplo, ao longo da semana. Cães não são máquinas, e não há motivo algum que justifique dietas que utilizam sempre os mesmos ingredientes. É claro que balancear a dieta adequadamente é fundamental, mas não há nada de errado em variar um pouco o cardápio. Na verdade, a variedade de ingredientes é exatamente o que torna a dieta caseira mais rica e saudável. Lembre-se que nem todos os cães são iguais e o que dá certo para um indivíduo pode não dar tão certo para outro. Procure aprender com o seu cachorro quais são os seus alimentos favoritos e aproveite os resultados!


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.

Saiba + sobre Nutrição Canina