quarta-feira, 11 de junho de 2014

Cachorro pode comer abacate?

Cachorro pode comer abacate? É comum os proprietários de cães ou outros animais de estimação estipularem os tipos de alimentos que eles podem comer de acordo com o gosto do animal. Mas se você está preocupado em oferecer somente alimentos que são totalmente seguros para o seu cachorro comer, não é suficiente saber se ele gosta ou não, afinal há alimentos que os cães adoram mas que devem ser evitados. Mas e em relação ao abacate?


Cachorro pode comer abacate?
Cachorro pode comer abacate?

Todos nós sabemos que os cachorros costumam ser verdadeiros glutões. Apesar de não ser todo o tipo de alimento que atrai o cães, muitos deles, especialmente aqueles mais saborosos ou mais cheirosos chamam à atenção dos nossos peludos.

A maioria dos relatos em relação ao abacate é de que os cães adoram essa fruta. No caso de pessoas que tem um abacateiro em casa, por exemplo, é bastante comum os cães procurarem abacates no chão para comer. Muito cães chegam até mesmo a escutar o barulho do abacate caindo da árvore e correm para apanhá-lo. Em casos assim, nem é necessário dizer que eles acabam comendo o abacate inteiro, com casca e tudo, e muitas vezes até com caroço.

É importante no entanto, comentar algumas características do abacate, especialmente se considerarmos que nem todo cachorro tem o mesmo tamanho, e muitas vezes o cão que está se alimentando dessa fruta em grandes quantidades pode ser bem pequeno.

Cachorro pode comer abacate?


Essa é uma questão muito debatida no meio veterinário, pois as opiniões sobre o consumo do abacate não são unânimes. Por um lado, alguns sustentam a teoria de que pequenas quantidades de abacate não fazem mal aos cachorros, em especial aos cães de maior porte. Por outro lado, há indicativos que o abacate pode trazer vários problemas aos animais de estimação, e não estamos falando apenas dos cães.

O abacate pode fazer mal para diversos animais, não só aos cachorros mas também aos cavalos, roedores e aves. Um dos principais problemas apontados pelos especialistas é uma toxina solúvel em óleo encontrada em células especializadas do abacate (idioblastos). Essa toxina é encontrada tanto no interior da fruta, quanto nas folhas e na casca. Em alguns casos, a ingestão dessa toxina em grande quantidade pode provocar inflamação das glândulas mamárias e até insuficiência cardíaca. Apesar da susceptibilidade dos cães à essa toxina ser incerta, esse não é o único risco da ingestão de abacate por cães.

Como todos sabemos, os cães não possuem um sistema digestivo capaz de processar uma grande quantidade de gordura vegetal de uma só vez e, considerando que o abacate é uma fruta gordurosa, esse é outro bom motivo pelo qual os cães não devem consumir essa fruta em grandes quantidades. Além disso, há ainda o risco do enorme caroço (ou até mesmo pedaços dele) fazer com que o seu cão engasgue. Mesmo que o cão consiga engolir o caroço sem engasgar, ele ainda pode causar alguma obstrução no aparelho digestivo, o que pode ser muito perigoso para os cães, em especial os de menor porte.

Mesmo que possamos considerar que uma pequena quantidade de abacate seja segura para o consumo dos cães, é muito difícil saber qual seria o limite de cada cão, particularmente no caso dos cães pequenos. Portanto, considerando os riscos que essa deliciosa fruta pode trazer se consumida pelos cães, a resposta para a nossa pergunta é um categórico não, cachorro não pode comer abacate.

A maioria das entidades internacionais de proteção animal consideram o abacate um alimento potencialmente tóxico para o consumo canino, portanto não há motivo para arriscar, mesmo sabendo que o abacate pode trazer diversos benefícios para o ser humano. Apesar dos cães poderem comer quase tudo que nós comemos, é sempre importante lembrar que os cachorros possuem um sistema digestivo diferente do nosso. Um bom exemplo disso, é o simples fato de que o sistema digestivo dos cães não está tão bem preparado quanto o nosso para digerir grandes quantidades de gorduras vegetais e carboidratos de uma só vez. Portanto, é importante ter cautela em relação a essa questão, afinal, nem tudo que é bom para nós, humanos, é necessariamente bom para nossos animais de estimação.




Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.