quinta-feira, 19 de junho de 2014

Cachorro pode comer cebola?

Cachorro pode comer cebola? É muito natural que os proprietários de cães que optam por oferecer uma alimentação natural, procurem fazer de tudo para agradar seus pets, incluindo melhorar o sabor das refeições. Mas é de conhecimento geral, que muitos alimentos, como os temperos podem fazer mal aos cães, em especial se consumidos em excesso. Mas, e em relação as cebolas?


Cachorro pode comer cebola?
Cachorro pode comer cebola?

A maioria dos cães são conhecidos por demonstrar interesse por qualquer tipo de alimento. Conforme sempre comentamos aqui, há diversos ingredientes que utilizamos para a nossa alimentação que também são seguros para o consumo dos cães, e podem ser utilizados pelos proprietários que optam em alimentar seus cães com uma dieta natural, baseada em ingredientes frescos.

O problema, é que nem todo alimento seguro para o consumo humano é também permitido para fazer parte da dieta regular dos cães, e a cebola é um deles. O motivo para isso é que, assim como o alho, a cebola contém uma substância chamada tiossulfato, que pode causar anemia hemolítica em cães quando consumida em excesso e regularmente, além de causar irritação gástrica ou até problemas mais graves. Os cães não tem a enzima necessária para metabolizar corretamente essa substância, que pode se acumular no organismo ao longo do tempo. Mas ao contrário do alho, que contém apenas traços dessa substância, a cebola pode apresentar um potencial tóxico mesmo quando consumida em pequenas quantidades, esteja ela crua, cozida, ou até mesmo presente em algum alimento processado, como sopas e salgadinhos.

Cachorro pode comer cebola?


Cachorro pode comer cebola?
Cachorro pode comer cebola?

Para responder a essa pergunta de maneira direta, basta dizer que não, cachorro não pode comer cebola. Conforme mencionado mais acima, este é um alimento com alto potencial tóxico e pode fazer mal para o seu cachorro. Os sintomas aparecem normalmente alguns dias após consumir uma dose alta o suficiente para causar intoxicação. Em geral, o cão intoxicado vai apresentar apatia e fraqueza e pode ainda apresentar outros sintomas, como vômito, diarreia, sangue na urina, icterícia, falta de apetite e até dificuldades respiratórias. A falta de tratamento pode até levar o animal à morte.

Se você é adepto da alimentação natural para cães, baseada em ingredientes frescos, é muito importante ficar atento aos alimentos com potencial tóxico, como a cebola. Fique atento também com a forma que as refeições do seu cachorro é preparada. Sempre comento aqui no blog que alimentação natural para cães é um dieta saudável, baseada em ingredientes frescos, preferencialmente orgânicos, preparados especialmente para eles. Alimentação natural para cães não é oferecer restos de comida. Nunca ofereça restos do seu almoço ou jantar para o seu cachorro, pois isso pode afetá-lo de diversas maneiras negativas, incluindo consequências mais graves, como intoxicação.

Níveis perigosos e fatais


Muita gente tem dúvida sobre a quantidade de cebola que pode ser perigosa caso ingerida acidentalmente por cachorros. A cebola pode ser considerada um alimento de alto potencial tóxico para os cães, e uma pequena quantidade já é suficiente para causar intoxicação. Para que possamos ter ideia de quão perigosa pode ser a ingestão acidental de cebola, cães de até 15 kg já podem sentir os sintomas da intoxicação se ingerirem cerca de 25 gr de cebola, às vezes até menos do que isso. Imagine então o risco em relação aos cães de pequeno porte, que muitas vezes pesam menos de 3 kg. Por isso, é importante dizer que não há níveis seguros para o consumo de cebola por cães. Qualquer que seja a quantidade, há risco de intoxicação, com menor ou maior grau de gravidade.

Se o seu cachorro ingerir acidentalmente qualquer quantidade de cebola, de qualquer tipo, crua ou cozida, procure imediatamente um veterinário. Entenda que uma intoxicação desse tipo pode levar o cão à morte se não for tratada.




Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.