segunda-feira, 9 de junho de 2014

Cachorro pode comer chocolate?

Cachorro pode comer chocolate? Há diversos alimentos que são agradáveis para o ser humano mas nem sempre são considerados saudáveis para o consumo dos bichos. É preciso entender que o organismo dos cães é diferente do nosso, e nem sempre podemos definir o que é melhor para eles considerando apenas o sabor do alimento. Mas será que o consumo de chocolate pode matar cães e gatos?


Cachorro pode comer chocolate?
Cachorro pode comer chocolate?

Se você tem um animal de estimação é bem provável que você já tenha ouvido falar sobre os riscos do consumo de chocolate por cães. Proprietários de cães e gatos sempre ouvem falar que o chocolate pode até mesmo matar os cães, especialmente no caso do chocolate escuro, e da ingestão em grandes quantidades. Mas, se você ainda está em dúvida se cachorro pode comer chocolate, vamos esclarecer os pontos principais dessa questão.

Cachorro pode comer chocolate?


A resposta para essa pergunta é simples e direta. Cachorro não pode comer chocolate, em nenhuma circunstância e em nenhuma quantidade. O motivo é que o cacau contêm uma substância chamada teobromina, e portanto, está presente em todos os chocolates fabricados com cacau. Essa substância, que pode estar em maior ou menor concentração dependendo do tipo do chocolate é tóxica para os cães, e em alguns casos, pode de fato ser fatal.

Apesar de ser necessária a ingestão de uma dose grande dessa substância para matar um cachorro, os riscos são intensificados no caso dos filhotes e animais de menor porte. De acordo com os médicos veterinários, doses entre 100 e 500 miligramas por kg são suficientes para levar um animal a óbito. Quando ocorre a ingestão de uma quantidade razoável, os cães já podem apresentar sintomas de intoxicação, como vômito e diarreia. Já nos casos mais graves, os cães podem apresentar sintomas neurológicos, como convulsões, excitação e dificuldade de coordenação motora.

Qualquer chocolate é perigoso e tóxico para cachorros?


Não há nenhum tipo de chocolate que possa ser considerado seguro para o consumo canino, não importa a quantidade, nem a idade ou porte do animal. Todavia, segundo estudos sobre o consumo desse alimento por cães, o tipo de chocolate mais perigoso é aquele com alto teor de cacau em sua formulação, em geral barras de chocolate escuro, amargo ou meio-amargo, ou ainda aqueles produtos em pó utilizados na culinária - alguns desses produtos podem apresentar de 15 a 20 mg de cacau por grama. Já o chocolate branco apresenta uma concentração menor de cacau, cerca de 0,1 miligrama de cacau por grama de chocolate.

Por que cachorro não pode comer chocolate?
Cachorro pode comer chocolate?

Quais os riscos do consumo de chocolate para os cachorros?


Em resumo, o chocolate é mesmo um produto perigoso para o consumo dos cães. E, considerando que o risco aumenta de acordo com a quantidade ingerida, os filhotes e animais de porte pequeno correm um risco ainda maior do que os de maior porte. Conforme explicado mais acima, o principal motivo do perigo do chocolate para o consumo canino é o cacau, que contêm uma substância chamada teobromina, considerada tóxica para pets.

Como se não bastasse o alto risco da ingestão de chocolate em consequência da intoxicação por teobromina, muitos cães também apresentam intolerância a lactose, que está presente no leite utilizado para preparar o chocolate. Animais que apresentam intolerância à lactose não devem consumir nenhum alimento preparado com leite ou derivados. Além disso, mesmo que a ingestão de chocolate não cause sintomas mais graves de intoxicação, nenhum doce é considerado um alimento saudável para pets sob o ponto de vista nutricional. Os doces podem causar diversos distúrbios alimentares nos cães, como obesidade, cáries nos dentes e até diabetes.

O que fazer no caso da ingestão acidental de chocolate por cães?


Se o seu cachorro ingeriu chocolate acidentalmente, procure imediatamente ajuda veterinária, mesmo que não haja sintomas aparentes. Lembre-se que, dependendo da quantidade de chocolate ingerida, do tipo e da idade e porte do cachorrinho, os riscos podem ser intensificados. Somente um veterinário pode determinar os riscos, o nível de gravidade da intoxicação e qual o procedimento mais indicado para o tratamento.

É importante ressaltar que não há nada de errado quando o proprietário opta em alimentar o seu cachorrinho com uma dieta mais saudável, a base de alimentos frescos e naturais. Na verdade há diversos profissionais da área de nutrição veterinária que defendem a alimentação natural em benefício da saúde dos cães. No entanto, é preciso tomar todas as precauções necessárias para não oferecer alimentos que possam conter substâncias nocivas à saúde dos cães. Se você não tem certeza sobre a segurança de um determinado alimento para o consumo canino, simplesmente não ofereça esse alimento até obter a confirmação sobre a segurança desse alimento para o seu pet.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.