sábado, 28 de junho de 2014

O cão é um animal carnívoro ou onívoro?

O cão (Canis lupus familiaris) é um mamífero da ordem dos carnívoros, atribuído ao gênero Canis (família canidae). Teorias postulam que surgiu do lobo cinzento no continente asiático há mais de 100.000 anos. De acordo com algumas das mais plausíveis hipóteses, é possível imaginar que o cachorro seja o mais antigo animal domesticado pelo homem.


O cão é um animal carnívoro ou onívoro?
O cão é um animal carnívoro ou onívoro?

O cão é provavelmente um animal que evoluiu à partir do lobo, e essa separação no processo evolutivo teria acontecido antes da domesticação pelo homem, há cerca de 135.000 anos. Ao observar os hábitos alimentares dos cães selvagens, é possível perceber que são animais predadores, e assim como os lobos caçam em bando. Essas matilhas se alimentam de presas selvagens, com alguma integração de frutos e outros vegetais. Muitos cães selvagens que vivem ao redor de aldeias ou pequenas cidades em várias partes do mundo, também acabam por consumir os restos de comida descartados por seres humanos, além de caçar pequenos animais.

O cão é um animal carnívoro ou onívoro?


O que muita gente pergunta é se a integração de alimentos de origem vegetal à alimentação dos canídeos selvagens indica que os cães sejam de fato animais onívoros, o que poderia justificar a grande quantidade de carboidratos encontrados em quase todas as rações industrializadas disponíveis em lojas. A verdade, é que ao contrário do que a indústria de alimentos para pets quer nos fazer acreditar, a resposta para esta pergunta é definitivamente não, os cães não podem ser considerados animais onívoros.

O cão é um animal carnívoro ou onívoro?
O cão é um animal carnívoro ou onívoro?

Em geral, na literatura especializada e em especial nos livros acadêmicos, os cães são de fato classificados como animais onívoros, afinal são animais capazes de sobreviver a base de dietas hipoproteicas. Mas na verdade, o cão pode sobreviver com dietas alternativas devido a sua fantástica capacidade de adaptação. Os cães não se adaptam somente em relação a localização geográfica, habitat ou ao clima de onde vivem, mas também em relação aos hábitos alimentares. Mesmo quando pensamos nos cães como caçadores, não é difícil supor que muitas das presas capturadas sejam herbívoras, e todo o interior dessas presas também é consumido pelos cães, incluindo diversos tipos de vegetais encontrados em seus estômagos. O problema é que o cachorro, seja ele de qualquer raça ou tamanho, continua sendo um predador, que requer uma dieta rica em proteínas animais, mesmo que, em algum momento acabe por consumir outros tipos de alimentos. Se observarmos, por exemplo, a dentição dos cães, é possível notar os caninos e molares afiados, típicos de predadores carnívoros. Do ponto de vista científico, os cães não precisam de carboidratos em sua dieta regular, pois a quantidade necessária de glicose é suprida via gliconeogênese, que se dá satisfatoriamente em uma dieta rica em lipídeos e proteínas. Falamos um pouco mais sobre este tema no artigo Por que ração para cães contém carboidratos?.

Esta definição é, contudo, muito debatida, afinal há diversos interesses em questão, como por exemplo, os de uma indústria multinacional e bilionária de rações para pets, que dependem da definição de cães como animais onívoros para que seus produtos continuem sendo tão lucrativos. Mas como o que estamos colocando em pauta neste artigo é a classificação do cão de acordo com a sua dieta ideal, o mais próximo possível em relação ao que esse animal utiliza como alimento na natureza, não podemos dizer que nossos amigões de quatro patas sejam de fato onívoros. Em resumo, cães são animais carnívoros porque, do ponto de vista fisiológico, não precisam de carboidratos em suas dietas regulares, mesmo que tenham uma alta capacidade de adaptação, a ponto de alterarem seus hábitos alimentares em função da sobrevivência.

Os perigos da ração industrializada


O cão é um animal carnívoro ou onívoro?
O cão é um animal carnívoro ou onívoro?

Mas, se os cães são essencialmente carnívoros, isso nos leva a uma nova dúvida. Por que as rações comerciais apresentam, em geral, uma formulação tão rica em elementos vegetais como arroz, milho, trigo, batatas, além de subprodutos como farinhas e demais féculas?

Infelizmente, a resposta para essa questão é muito mais perturbadora. Por um lado, esses cereais e demais elementos de origem vegetal são adicionados à ração simplesmente por serem uma alternativa de baixo custo em relação à carne. O alto custo de produção de uma ração com alto teor de proteínas de origem animal é uma questão importante no processo de industrialização de rações comerciais, e a alternativa é a inclusão de proteínas de origem vegetal nas formulações.

Considerando a adição dessas proteínas de origem vegetal às rações, outro problema entra em questão. Devido a baixa biodisponibilidade das proteínas de origem vegetal, torna-se necessário incluir na fórmula da ração uma maior variedade de alimentos para atender às necessidades diárias de energia que um cachorro precisa. Apesar dessa prática ter se tornado bem vantajosa para os fabricantes, que conseguem obter uma maior margem de lucro na venda desses produtos, para os cães o quadro é bem mais complicado. Os cachorros enfrentam maior dificuldade em digerir essa enorme quantidade de fibras e carboidratos contidos na ração, e isso acaba por provocar diversos problemas de saúde, tais como obesidade, alergias, flatulência, aumento do volume das fezes e, em muitos casos, doenças mais graves.

A indústria bilionária de alimentos para pets poderia concentrar os seus esforços na produção de uma ração para cães que fosse mais próxima da dieta considerada ideal do ponto de vista científico, ao invés de seguir a lógica de mercado e tentar reduzir cada vez mais os custos de produção. Quem sabe, se houvesse menos investimentos em campanhas publicitárias persuasivas, que iludem os proprietários e os impedem de tomar as melhores decisões para seus pets, esses fabricantes não poderiam, ao invés disso, oferecer produtos de melhor qualidade para aqueles proprietários que procuram, cada vez mais, conhecer melhor os seus pets e proporcionar uma melhor qualidade de vida aos seus queridos peludos.




Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.

Saiba tudo sobre cachorros