segunda-feira, 30 de junho de 2014

Por que ração para cães contém carboidratos?

Sempre que falo aqui no blog sobre a alimentação natural, comento a importância da proteína de origem animal na dieta regular dos cães, e muita gente tem me perguntado porque as rações comerciais contêm uma quantidade tão grande de carboidratos em sua formulação.



Por que ração para cães contém carboidratos?
Por que ração para cães contém carboidratos?

Se você acompanha o blog, ou se já procurou informações em artigos sobre algum alimento específico, é provável que você já tenha notado que sempre enfatizamos aqui a importância das proteínas de origem animal na alimentação dos cães.

Se observarmos, por exemplo, a dentição de cães e gatos, é possível notar os caninos e molares afiados, típicos de predadores carnívoros. E, ao contrário do que muita gente pensa, os cães não são onívoros. Os cães são, na verdade, animais carnívoros. Na natureza, os cachorros selvagens são caçadores e a base da alimentação desses canídeos é a carne de suas presas. Essa dieta pode até ser complementada com frutos e demais vegetais ocasionalmente, mas somente em situações de necessidade, como no caso da escassez de alimentos. Essa complementação acontece em função de uma alta capacidade de adaptação dos cães, e não por serem animais onívoros. Esse tema já foi abordado com mais detalhes no artigo O cão é um animal carnívoro ou onívoro?.

Mas se os cães são animais essencialmente carnívoros, e as proteínas de origem animal devem ser a base da alimentação desses canídeos, por que ração para cães contém carboidratos? E, mais importante, por que esses produtos contêm uma quantidade tão grande de carboidratos? Ao observarmos as embalagens das rações comerciais para cães, podemos observar que há uma grande quantidade de carboidratos na formulação, que do ponto de vista fisiológico, não traz benefício algum para a dieta canina. Mas então, por que essas linhas de ração comerciais incluem uma quantidade tão exagerada de carboidratos em sua formulação?

Por que ração para cães contém carboidratos?


Por que ração para cães contém carboidratos?
Por que ração para cães contém carboidratos?

Se você está se perguntando por que ração para cães contém carboidratos, a resposta é, no mínimo, preocupante. A primeira razão para isso, é que os carboidratos derivados de grãos, cereais e até de raízes, como por exemplo a batata, são uma fonte de energia de baixo custo. Portanto, a primeira razão para que a industria de alimentos para pets adicione tanto carboidrato nas rações é simplesmente a redução dos custos de produção. E, além de serem ingredientes de baixo custo, trazem ainda outros benefícios importantes aos fabricantes. Esse tipo de alimento é mais fácil de ser conservado e são ingredientes indispensáveis na preparação da ração. Além de servirem como enchimento, não seria possível produzir os grãos de ração desidratados sem os carboidratos para dar a liga.

Os fabricantes de ração gostam de sustentar a imagem de excelência em alimentação para pets e a alta qualidade nutricional de seus produtos. Mas ao contrário do que diz a propaganda, esses produtos não são desenvolvidos para garantir os níveis ideais de nutrientes baseados em uma dieta saudável para cães. Esses níveis ideais são mantidos no produto final à base de uma formulação de baixo custo, que não chega nem perto daquilo que, fisiologicamente, seria o mais indicado para os cães. Não estamos, porém, sugerindo que esses produtos não apresentem os nutrientes que estão descritos nas embalagens. O que estamos afirmando aqui é que, apesar do alimento estar matematicamente balanceado do ponto de vista nutricional, isso só acontece graças à adição de ingredientes que não são indicados para o consumo de cães.

Por que ração para cães contém carboidratos?
Por que ração para cães contém carboidratos?

A parte mais delicada dessa questão é que esses ingredientes fazem mal à saúde dos cães. Isso ocorre porque o organismo do cachorro está preparado para se alimentar primariamente de carne. E como consequência, a ingestão de tanto carboidrato ao invés da proteína animal e da gordura que os cães deveriam consumir, causa problemas no sistema digestivo.

O consumo excessivo de carboidratos pode resultar em aumento da gordura corporal, levando o cão à obesidade. Causa ainda, uma sobrecarga no sistema digestivo, o que afeta o pâncreas e o intestino delgado, levando ao aumento da quantidade de fezes quando comparamos com uma alimentação a base de carne. Esse é um dos principais motivos pelos quais alguns fabricantes de ração comercial se preocupam em adicionar elementos que ajudam a diminuir o volume das fezes. Basicamente, as formulações com esses elementos visam minimizar um problema causado pela própria ração. Além disso tudo, boa parte das intolerâncias de fundo alimentar podem ser favorecidas ou intensificadas à partir do consumo excessivo de carboidratos, como por exemplo as alergias e até mesmo a diabetes. Também falamos um pouco mais sobre esta questão no artigo O cão é um animal carnívoro ou onívoro?.

É importante notar que os cães (ao contrário do ser humano, que é onívoro) são capazes de assimilar grande quantidade de gorduras, e obter à partir delas toda a glicose necessária para manter os níveis ideais de energia ao longo do dia. Por isso, as gorduras são a principal fonte de energia na alimentação canina, e devido ao seu alto suprimento de nutrientes são essenciais para a absorção de vitaminas lipossolúveis.

Ao contrário dos animais onívoros, os cães têm a capacidade de manter os níveis adequados de energia ao obter a glicose à partir da digestão de proteínas e lipídeos encontrados na carne. Portanto, do ponto de vista fisiológico, não há necessidade ou benefícios para os cães em ingerir carboidratos. Os ingredientes de origem animal são os mais indicados e plenamente satisfatórios para garantir os níveis ideais de nutrientes e energia aos cachorros.




Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.