quinta-feira, 10 de julho de 2014

Como iniciar uma dieta a base de carne crua

Como iniciar uma dieta a base de carne crua - A dieta a base de alimentos crus para animais de estimação é uma opção que muitos proprietários escolhem para melhorar a qualidade de vida de seus pets. Mas muita gente que pretende iniciar uma dieta deste tipo fica em dúvida de como fazê-lo, e se a mudança pode ocasionar problemas para os animais que se alimentam com rações comerciais.


Como iniciar uma dieta a base de carne crua
Como iniciar uma dieta a base de carne crua

Os proprietários que oferecem ao seus cães uma alimentação natural, com ingredientes frescos e crus, conhecem bem os benefícios que esse tipo de dieta pode trazer à saúde. Em geral, cães alimentados com refeições naturais, especialmente preparadas para eles, costumam ter uma melhor qualidade de vida e apresentar um sistema imunológico mais forte.

Se você fizer uma visita de rotina ao seu médico e perguntar sobre a qualidade da sua alimentação, é muito provável que você seja aconselhado a consumir produtos mais saudáveis, naturais, sem conservantes e sem aditivos químicos nocivos à saúde. Então, por que os cães podem comer ração processada, desidratada e cheia de aditivos químicos? A conclusão lógica é que a dieta a base de ingredientes naturais é a mais aconselhada também para os animais de estimação, que são mais preparados para absorver os nutrientes desses alimentos frescos do que das rações industrializadas. Muitos proprietários e veterinários adeptos da alimentação natural recomendam, portanto, a dieta baseada em carne crua, que é a base da alimentação dos cães selvagens e de seu ancestral direto, o lobo. Se você tem alguma dúvida em relação a este tipo de dieta, saiba mais no artigo Cachorro pode comer carne crua?.

Quais são os benefícios da dieta a base de carne crua?


De acordo com a maioria dos proprietários que alimentam seus cães com este tipo de dieta, os benefícios para o animal são grandes, principalmente no longo prazo. Os mais evidentes e citados com mais frequência são:
  • Sistema imunológico mais forte e saudável
  • Pelagem mais saudável e brilhante, sem odor corporal
  • Melhora da atenção, concentração e redução da hiperatividade
  • Dentes mais limpos e gengivas saudáveis
  • Hálito fresco
  • Maior facilidade de manter o peso adequado
  • Melhor tônus muscular
  • Menor volume das fezes
  • Acaba com os parasitas, elimina necessidade de vermífugos
  • Elimina problemas metabólicos
  • Diminui o custo em relação às rações comerciais

Também são inúmeros os benefícios de longo prazo. Os cães que recebem uma dieta natural, baseada em ingredientes crus, fortalecem o sistema imunológico, e as visitas ao veterinário diminuem consideravelmente. Cães alimentados com uma dieta natural são mais saudáveis, e apresentam até mesmo melhora no comportamento. No entanto, as dúvidas em relação à alimentação com carne crua e como fazer a mudança de dieta são muito frequentes entre os marinheiros de primeira viagem. Vamos comentar um pouco sobre esse assunto e tentar ajudá-lo caso você tenha decidido mudar a alimentação do seu cachorro da ração industrializada para uma alimentação natural, baseada em ingredientes frescos e crus.

Cuidados antes de mudar a dieta do seu cachorro


O ponto mais importante é que nunca deve ser promovido nenhum tipo de mudança na rotina alimentar de um cão enfermo ou convalescente. Tenha em mente que, mesmo que o seu cachorro não apresente nenhum sintoma, ele pode não estar com a saúde perfeitamente em dia. A primeira dica é fazer uma visita ao seu veterinário e passar o seu amigão por uma consulta de rotina. Exames laboratoriais devem ser realizados para verificar se está tudo ok com ele. Explique ao veterinário que você pretende mudar a alimentação do seu cachorro, e peça para ele realizar os exames necessários a fim de determinar se está tudo certo com o seu peludo. É preciso que ele esteja com as vacinas em dia, e que os exames não indiquem nenhum sinal de anemia e nem a presença de vermes ou demais parasitas nas fezes. Exames simples de sangue e de fezes são, em geral, suficientes para determinar se está tudo bem em relação a isso. Caso os exames indiquem alguma alteração nesse sentido, ou qualquer outra alteração mais séria, nem pense em mudar a alimentação do seu cachorro antes de terminar o tratamento indicado pelo veterinário.

Como iniciar uma dieta a base de carne crua


Como iniciar uma dieta a base de carne crua
Como iniciar uma dieta a base de carne crua

Se tudo estiver ok com a saúde do seu amigão, o primeiro passo é iniciar a transição de maneira suave e gradativa. Um erro bastante comum entre os proprietários menos experientes é iniciar esse tipo de dieta de repente, incluindo já nas primeiras refeições uma grande variedade de ingredientes. Esse é um erro que pode trazer problemas nessa fase de adaptação, que é certamente a mais delicada para o seu cachorro. Vamos listar abaixo algumas dicas importantes para evitar grandes problemas nessa fase inicial.

Ofereça apenas carne de boa procedência e própria para o consumo - Qualquer alimento a ser oferecido ao seu cachorro deve ser de boa procedência. Como os alimentos serão oferecidos crus, a carne deve ser própria para consumo humano. Nunca ofereça carne em condições duvidosas ao seu cachorro. Como regra geral, ofereça apenas as carnes que você poderia utilizar no preparo das suas próprias refeições. Se a carne não estiver boa para o seu consumo, também não está boa para o consumo do seu cachorro. Um cuidado importante é comprar a carne fresca e congelá-la assim que você chegar em casa. Procure manter a carne no freezer por um período de 3 a 5 dias, e quando for oferecê-la ao seu cachorro, descongele-a na geladeira. Evite deixar a carne exposta e fora da geladeira por mais de 20 minutos.

Nunca misture carne crua com ração comercial - A ração industrializada exige um pH diferente no intestino para que os cães possam digerir, e isso vai fazer com que o seu cachorro fique muito mais suscetível às bactérias contidas na carne crua. Cães saudáveis lidam com essas bactérias sem maiores riscos, mas a mistura com a ração comercial vai fazer com a carne leve muito mais tempo para ser digerida, o que propicia a proliferação dessas bactérias. Quando dizemos que a mudança deve ser gradual, não estamos nos referindo a manutenção da ração comercial como parte das refeições. A ração industrializada deve ser descontinuada imediatamente. Os novos ingredientes é que deverão ser introduzidos pouco a pouco, conforme explicado mais abaixo. Se você ainda tem um pouco de ração comercial em casa, faça uma doação para algum abrigo de cães, ou simplesmente jogue fora.

Comece com uma única fonte de proteína - Muitos proprietários procuram começar uma dieta deste tipo com a carne de frango, que é uma fonte de proteína de fácil digestão, além de ser uma carne barata. Mantenha essa dieta por pelo menos uma semana, e observe a adaptação do seu cachorro a esse novo alimento. Nesse período, não introduza nenhum outro tipo de ingrediente nas refeições. Isso é muito importante nessa primeira fase de adaptação.

A ideia da alimentação a base de carne crua é proporcionar o exercício da mastigação que o seu cão precisa para manter os dentes limpos e gengivas saudáveis, portanto ofereça sempre o alimento integral, nem pense em oferecer carne moída. Procure adequar os tamanhos de cada porção ao porte do animal: se você tem um cachorro pequeno, como um Pequinês, ofereça uma coxa de frango inteira, e se você tem um cão maior, como um Labrador, experimente oferecer meio frango. Aos poucos, dependendo da evolução nas primeiras semanas, procure introduzir novas fontes de proteína de maneira gradativa. Não se preocupe em alcançar o perfeito equilíbrio nutricional com uma grande variedade de carnes, ossos e miúdos nesse primeiro momento. O equilíbrio de cada refeição é de fato muito importante, mas não há nenhuma necessidade de apressar esse processo. Introduza aos poucos uma maior variedade de alimentos para não causar problemas digestivos ao seu cachorro. Esse processo gradativo não vai prejudicar o seu cachorro em relação ao equilíbrio dos nutrientes de cada refeição. Tenha em mente que mesmo nessa fase inicial, ele já estará recebendo um alimento de muito melhor qualidade do ponto de vista nutricional do que qualquer ração comercial, mesmo se considerarmos aquelas mais caras. Lembre-se que o seu cachorro esteve durante um bom tempo comendo um alimento artificial, à base de um grão duro, desidratado, cheio de carboidratos de origem vegetal, e muito difícil de digerir. Para saber mais sobre esse assunto veja o artigo Por que rações para cães contém carboidratos?. É importante considerar que o seu amigão pode estar com as enzimas digestivas reprimidas e em casos assim, pode precisar de algum tempo para estar com o sistema digestivo funcionando da maneira correta novamente.

Equilibre a dieta - Balancear as refeições do ponto de vista nutricional é muito importante para os cães, tanto para os adultos quanto para os filhotes. Depois desses primeiros dias, ou quem sabe após duas ou três semanas, tente acrescentar um novo ingrediente nas refeições. Tente adicionar uma pequena porção de miúdos, como coração ou moela, ou experimente incluir uma nova proteína, como por exemplo um pedaço de carne bovina. Continue esse processo aos poucos, sem pressa, observe a reação do seu peludo e mantenha essa dieta por mais algum tempo, sem fazer novas alterações. Lembre-se que os miúdos e outros órgãos internos, como o fígado, podem soltar o intestino, portanto nunca exagere nas quantidades e sempre procure introduzir cada ingrediente de maneira gradativa. Com o passar do tempo, vai se tornar cada vez mais fácil introduzir novos alimentos na dieta do seu cachorro, incluindo novas fontes de proteínas e outros complementos importantes para a alimentação regular.

De maneira geral, apesar de haver diferentes fórmulas e diversas receitas adequadas, podemos considerar que uma dieta equilibrada é formada por carnes, ossos e miúdos, além de haver outros suplementos que podem ser igualmente benéficos. Os miúdos podem estar presentes na alimentação em cerca de 10% de cada refeição (por exemplo, 5% de fígado e 5% de miúdos). Os ossos comestíveis devem representar cerca de 10% da refeição, enquanto os 80% restantes devem ser formados por carne, tendões, ligamentos e gordura. O que temos que considerar na hora de equilibrar as refeições é que a carne é rica em fósforo, enquanto os ossos são ricos em cálcio. Incluindo nas refeições cerca de 10% de ossos comestíveis, você vai garantir a proporção exata de cálcio e fósforo exigida para a alimentação canina. Outros ingredientes como peixes, ovos e bucho, apresentam uma relação equilibrada entre cálcio e fósforo.

Qual a quantidade ideal por refeição?


As quantidades ideais de alimento que o seu cão deve receber diariamente depende diretamente do peso e da idade de cada animal. Comece pesando o seu cachorro para determinar o seu peso atual e as quantidades ideais de alimento a ser oferecido por dia. A porção diária recomendada para este tipo de dieta deve representar, em linhas gerais, de 2 a 3% do peso do animal, ou cerca de 1/2 kg de alimento para cada 11,5 kg de peso corporal. Portanto se o seu cachorro já é adulto e pesa, por exemplo, 35 kg, a porção diária de alimento será de aproximadamente 1,5 kg por dia.

No caso dos filhotes, o cálculo é um pouco diferente. A porção diária de alimento para os filhotes não pode ser maior do que 10% do seu peso corporal, ou cerca de 2 a 3% do peso corporal ideal para os cães adultos da mesma raça. Lembre-se que calcular a dose diária de alimento através do peso ideal de quando ele for adulto é mais fácil se for um animal de raça pura, pois é muito mais difícil precisar o peso ideal dos animais mestiços enquanto ainda são filhotes. Se você estiver introduzindo este tipo de alimentação a um filhote, procure fracionar a porção recomendada em 3 refeições diárias, sempre com intervalos regulares. Lembre-se de pesar o seu filhote toda semana, ou a cada quinze dias para recalcular a quantidade ideal de alimento adequadamente.

Utilize um critério flexível ao de determinar a porção ideal de alimento que o seu cachorro vai receber diariamente. Lembre-se que cães mais ativos requererem naturalmente uma maior quantidade de alimento por refeição, enquanto os mais preguiçosos podem recebem um dose um pouco menor.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.

Saiba + sobre dieta a base de carne crua