sábado, 18 de outubro de 2014

Cachorro pode beber leite?

Cachorro pode beber leite? Muita gente questiona se o leite de vaca pode ser consumido por pessoas adultas sem restrições, e as dúvidas sobre o consumo de leite por cães são ainda maiores. 


De uma forma ou de outra, o leite faz parte da alimentação de qualquer ser humano. Mesmo quando não bebemos o leite propriamente dito, consumimos este nutritivo alimento enquanto ingrediente de diversos pratos em nossas refeições diárias, assim como doces, sobremesas e laticínios.

Cachorro pode beber leite?
Cachorro pode beber leite?

Este importante alimento oferece inúmeros benefícios a nossa saúde, pois é fonte de vitaminas e minerais, e é comprovadamente capaz de reduzir o riscos de diversas doenças. O leite contém, por exemplo, uma grande quantidade de cálcio, que além de ser importante para os ossos, traz ainda outros benefícios á saúde. O cálcio contido no leite é capaz, por exemplo, de reduzir o risco de doenças cardiovasculares e acidentes vasculares cerebrais.

Há inúmeros outros benefícios no consumo regular de leite pelo ser humano, mesmo para os adultos, pois esse alimento apresenta várias vitaminas que devem estar presentes em nossa alimentação diária, como a vitamina A e B.

E os benefícios do consumo de leite não param por aí. As vitaminas contidas no leite ajudam a aumentar a contagem de glóbulos vermelhos; os carboidratos colaboram aumentando a vitalidade e energia; o potássio é um elemento fundamental na nossa dieta, que ajuda a regular o sistema nervoso; o magnésio é conhecido por melhorar o tônus muscular; enquanto o fósforo é responsável pela liberação de energia e proteínas para reparar o corpo em desenvolvimento, e também ajuda a manter o funcionamento do corpo em um nível jovem à medida que envelhecemos.

Cachorro pode beber leite?
Cachorro pode beber leite?

Mas diante de tantos benefícios, por que o consumo de leite é tão controverso, seja para o ser humano quanto para os cães? Em parte, essa questão pode ser explicada pela intolerância a lactose que muita gente pode apresentar, muitas vezes depois de adulto. Quem tem intolerância à lactose pode enfrentar problemas para digerir o leite e podem surgir efeitos colaterais, como por exemplo, desarranjos intestinais e flatulência. Esse problema não é diferente em relação aos cães. Depois de adultos, os cachorros também podem se mostrar intolerantes à lactose, e em casos assim, o consumo de leite pode fazer mais mal do que bem.

Intolerância à Lactose


Antes de mais nada, precisamos considerar dois pontos importantes para afirmar se os cães podem ou não consumir leite. O primeiro é que alguns cães têm maior dificuldade em digerir o leite e seus derivados, e em casos assim, o leite e seus derivados podem ser contra-indicados. O outro ponto é que, assim como o ser humano, cães adultos podem sofrer de intolerância a lactose, e isso depende da capacidade do animal em produzir a enzima necessária para quebrar a lactose, que é um tipo de açúcar encontrado no leite de vaca. Neste caso, é importante salientar que, mesmo os cães que sofrem de intolerância a lactose, são capazes de digerir uma baixa dose de lactose sem enfrentarem problemas. em geral, esses cães podem consumir leite e alguns derivados, mas em quantidade pequena. Para ter certeza se o seu cão é ou não intolerante à lactose, experimente oferecer uma pequena quantidade de leite, sempre considerando o tamanho do animal e observando de perto se há alguma reação negativa, como diarreia, gases ou vômito. Se qualquer um desses sintomas forem observados, há uma boa chance do seu cachorro ser intolerante.

Cachorro pode beber leite?


Sim, cachorro pode beber leite. Afirmar o contrário, é um erro comum quando falamos de alimentos para cães, pois não há nada que sugira uma contra-indicação do consumo de leite por cães adultos. O que podemos afirmar, é que o leite de vaca não deve ser consumido por filhotes, nem por cães que apresentem problemas em digerir leite e derivados, e nem por cães que sofram de intolerância à lactose. Entretanto, muitos cães são capazes de digerir o leite sem problema algum, e não há motivo para que esse nutritivo alimento não faça parte de uma alimentação regular. Em muitos países da Europa, por exemplo, o leite de vaca e de cabra, assim como seus derivados, são amplamente utilizados na alimentação dos cachorros que recebem uma dieta natural, composta basicamente por alimentos frescos, preparados em casa especialmente para eles. Os produtos lácteos são, na verdade, importantes complementos alimentares para os cães que recebem esse tipo de alimentação. Em países do norte europeu é muito comum complementar esse tipo de dieta com os derivados de leite, como queijos e iogurte, e é frequente o uso do leite de cabra, que é considerado mais fácil de digerir, em especial para os indivíduos que apresentam mais dificuldade na digestão de leite de vaca comum.

Em resumo, cães adultos podem beber leite, mas no caso de efeitos colaterais decorrentes da intolerância à lactose ou da dificuldade de digestão, o consumo deve ser comedido ou interrompido. Nos casos em que os cães apresentam sintomas mais sérios, como vômitos e diarreia frequentes, o consumo deve ser imediatamente descontinuado.

Laticínios


derivados de leite que devem ser evitados na alimentação regular dos cães. Não há motivos, por exemplo, para adicionar produtos como a manteiga na alimentação canina. Por outro lado, os cães podem também aproveitar dos benefícios de outros laticínios, como queijos e iogurte. No caso dos queijos é importante lembrar que alguns cães terão maior dificuldade em digerir os de tipo mais forte, como os queijos amarelos. Outro ponto que vale a pena comentar é que há queijos muito salgados, portanto utilize de bom senso e procure evitar os tipos de queijo com maior potencial de intolerância. Os queijos brancos menos salgados são os mais indicados.

Outro produto que pode ser oferecido aos cachorros é o iogurte. Considerado um alimento rico em proteínas, cálcio e, em alguns casos até probióticos, este alimento pode ajudar na digestão, além de ser uma importante fonte de nutrientes. Além disso, o iogurte é um alimento com baixas calorias, e como complemento alimentar, pode beneficiar os cães que recebem uma alimentação natural.

Observação: lembre-se que, como sempre procuro comentar aqui no blog, os alimentos utilizados como complemento alimentar devem ser oferecidos aos cães que, de fato, recebem uma alimentação baseada em uma dieta natural. O motivo para isso é que as rações comerciais para cães já são balanceadas do ponto de vista nutricional e, em geral, não necessitam complementação vitamínica ou mineral. Se você acha que, mesmo consumindo uma ração de linha comercial, o seu cão pode se beneficiar com o consumo regular de leite ou derivados, converse antes com o seu veterinário para evitar uma sobrecarga vitamínica e/ou mineral na dieta, que também pode ser prejudicial.

Filhotes


Conforme explicado mais acima, os filhotes de cães não podem consumir leite de vaca. O motivo é que o sistema digestivo dos filhotes ainda está em formação, e o leite de vaca pode ser prejudicial, independente da idade do animal. Os neonatos e filhotes de até 45 dias de vida, precisam do leite materno, e até que se inicie o desmame essa deve ser a única fonte de alimentação dos filhotes. No entanto, somente o leite materno é permitido durante essa fase e o leite de vaca é contra-indicado.

Quando há algum problema com o leite da cadela a ponto de impedir ou prejudicar a alimentação dos filhotes, um substituto será necessário, até que se inicie o desmame. No entanto, o leite de vaca não deve ser utilizado, nem mesmo em casos como esse. O único substituto do leite materno que pode ser oferecido com segurança aos filhotes é aquele comprado em lojas especializadas, especialmente formulado para esta finalidade. Após o desmame, a alimentação do filhote deve ser oferecida de acordo com a orientação do veterinário.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.