quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Cachorro pode comer alface?

Cachorro pode comer alface? Procurando oferecer uma alternativa mais saudável do que as rações industrializadas, cada vez mais proprietários optam em alimentar seus cães com refeições caseiras, elaboradas com ingredientes frescos e naturais. Algumas das perguntas frequentes sobre este tipo de dieta são relacionadas aos vegetais crus, como a alface e demais folhas.


Os vegetais crus costumam fazer parte das nossas refeições, especialmente quando procuramos nos alimentar com uma dieta saudável e bem balanceada. Os vegetais crus são responsáveis por fornecer boa parte das vitaminas e fibras necessárias diariamente e, sem dúvida, são considerados uma parte importante da nossa alimentação.

Cachorro pode comer alface?
Cachorro pode comer alface?

Nas dietas caninas, sejam elas constituídas por uma alimentação natural ou não, os vegetais também estão, de maneira geral, muito presentes. Até mesmo alguns vegetais crus podem ser utilizados como saborosos petiscos entre as refeições, ou durante as aulas de obediência. Mas será que os vegetais crus, em especial as folhas, podem ser oferecidos sem risco aos cachorros?

Cachorro pode comer alface?


Conforme mencionado no início desse artigo, alguns vegetais são amplamente utilizados na alimentação canina, seja na formulação das rações de linha comercial, ou no preparo das refeições naturais. Quando o proprietário opta em alimentar o seu cachorro com uma dieta natural, elaborada à partir de ingredientes frescos e especialmente preparados para ele, os vegetais costumam fazer parte da dieta, mesmo considerando que esses ingredientes representam uma menor parte da dieta. Até mesmo alguns vegetais crus podem ser utilizados no  preparo dessas refeições, e em geral, sejam eles crus ou cozidos, são importantes fontes de fibras, vitaminas e demais nutrientes. No caso da alface não é tão diferente assim.

Cachorro pode comer alface?
Cachorro pode comer alface?

Para responder a essa questão, podemos dizer que sim, cachorro pode comer alface em pequena quantidade, entretanto, este é um vegetal com pouco valor nutritivo. Não há qualquer contra-indicação em relação ao consumo de alface por cães, desde que seja em quantidade moderada, ou seja, se o seu cão ingerir acidentalmente um pouco de alface, não há nenhum elemento perigoso nas folhas capaz de causar uma intoxicação. Se o seu cão sofre de constipação, a alface pode ajudá-lo a aliviar os sintomas, especialmente se ele gostar do sabor e aceitar as folhas naturalmente. Alguns cães simplesmente ignoram alimentos como a alface, outros demonstram interesse e até gostam do sabor. Todavia, fique atento em relação a quantidade, pois se consumida em excesso, a folha de alface pode causar diarreia e desconforto gastro-intestinal.

O ponto mais importante é que a alface, conforme explicado mais acima, não é um alimento rico em nutrientes. Com baixas calorias, porém de baixo valor nutricional, a alface contém apenas algumas vitaminas e fibras, mostrando-se uma opção pobre quando falamos em verduras e hortaliças. Podemos dizer, sem sombra de dúvida que há alternativas muito melhores e mais adequadas para a dieta canina do que alface.

Cachorro pode comer folhas cruas?


É importante esclarecer algumas questões relevantes relacionadas aos vegetais crus. Mesmo considerando que há alguns exemplos de alimentos crus, como a cenoura, que podemos oferecer ocasionalmente, de maneira geral, os cachorros estão mais susceptíveis a indisposições estomacais quando consomem folhas cruas do que cozidas.

A maneira mais indicada de se oferecer as folhas aos cães é cozinhá-las levemente, de preferência no vapor, ou simplesmente adicioná-las já picadas durante o preparo da proteína que ele consome normalmente. Uma atenção especial é necessária no caso dos cães que vão receber este tipo de alimento pela primeira vez; procure não exagerar na dose, sempre considerando que os vegetais devem representar uma pequena parte de cada refeição. Se você tem dúvidas em relação ao preparo de uma refeição natural para cães, confira o artigo 5 dicas para preparar ração caseira para cães.

Cachorro pode comer salada?


Esta é uma dúvida que costuma aparecer quando estamos à mesa, prontos para começarmos a comer um prato de salada crua e nosso amigão se coloca ao lado com aquela cara de fome. Nessa hora, várias questões acabam vindo a nossa mente. Será que ele está com essa carinha por causa da salada? Será que cachorro pode comer salada?

É importante considerarmos primeiramente que nem todos os ingredientes das saladas são apropriados para o consumo canino. Podemos citar os temperos, que podem fazer mal para os cães. Sal em excesso, pimenta, vinagre, molhos e condimentos não são indicados para cães e podem ser prejudiciais, em especial para aqueles que não estão acostumados com uma alimentação natural. Além disso, há alimentos que são muito perigosos para os cães, como no caso da cebola, que é altamente tóxica e pode levar a um quadro grave de intoxicação. Para finalizar, embora boa parte dos ingredientes de uma salada não sejam perigosos se consumidos por cães, alguns desses alimentos são potencialmente perigosos, incluindo temperos e condimentos, portanto podemos resumir a questão dizendo que não, cachorro não pode comer salada.

Como sempre costumo comentar aqui no blog, procure entender que estas dicas de alimentos frescos para a alimentação canina são direcionadas aos proprietários que já alimentam seus cães com uma dieta natural, baseada em alimentos frescos e refeições preparadas especialmente para eles. Lembre-se que os cachorros que se alimentam com ração de linha comercial, não precisam de suplementação alimentar, a menos que por indicação veterinária.

É claro que qualquer cachorro pode ganhar um petisco natural de vez em quando entre as refeições, mas procure não complementar uma dieta baseada em ração industrializada, pois as rações de linha comercial são balanceadas do ponto de vista nutricional e não há necessidade de complementação, há não ser que por indicação veterinária.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.