sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Cachorro pode comer couve?

Cachorro pode comer couve? Da mesma família dos repolhos, a couve é muito popular na nossa cozinha, e com grande mérito. As folhas de couve contêm uma alta dosagem de ferro e cálcio, e fibras, além de ser um alimento rico em betacaroteno, um importante antioxidante capaz de reduzir o risco de diversas doenças. Mas será que os cães podem se beneficiar dessas substâncias da mesma forma que o ser humano?


Ingrediente indispensável em diversas receitas tradicionalmente brasileiras, a couve é amplamente utilizada na nossa culinária, costume herdado do povo português. Além de ser uma folha fácil de se encontrar e de baixo custo, a cada dia descobrimos mais características que fazem desse vegetal um importante e nutritivo alimento para o ser humano. As propriedades e benefícios da couve chegam a parecer uma bula de remédio. A couve é capaz de eliminar gordura e toxinas do corpo, é fonte de vitamina C, é rica em fibras, cálcio, magnésio, ferro, contém antioxidantes e ajuda na digestão.

Cachorro pode comer couve?
Cachorro pode comer couve?

No entanto, a questão é determinar se a couve pode ser utilizada como ingrediente no preparo das refeições caseiras para os cães, e se é possível dizer que eles podem se beneficiar desse alimento da mesma fora que o ser humano.

Cachorro pode comer couve?


Sempre que comento aqui no blog sobre a adição de vegetais nas dietas naturais, procuro deixar claro que os cães, de maneira geral, não são tão bons em digerir esses alimentos quanto o ser humano. É por isso, que quando optamos em alimentar nosso peludo com uma dieta natural, com refeições preparadas especialmente para eles, os vegetais devem representar uma parte pequena em cada prato. Sempre tenha em mente que o protagonista de uma refeição caseira para cães deve ser a proteína, enquanto os elementos vegetais devem ser preparados e servidos como complemento, representando a menor parte da refeição.

Cachorro pode comer couve?
Cachorro pode comer couve?

Alguns alimentos de origem vegetal, são mais indicados para essa complementação do que outros, e no caso da couve, podemos dizer que é um dos alimentos mais benéficos para os cães. Mesmo considerando que os cachorros não são capazes de absorver os nutrientes dos vegetais na mesma intensidade que nós, a couve é certamente um complemento que melhora a qualidade nutricional de qualquer refeição. As fibras dessas folhas são importantes para o sistema digestivo, e muitos outros benefícios desse alimento se estendem também aos cachorros. Portanto, podemos responder a essa questão dizendo que sim, cachorro pode comer couve, desde que em pequenas porções.

Como oferecer couve aos cães


A couve pode ser oferecida aos cachorros de várias maneiras. Os vegetais, como regra geral, devem ser oferecidos de uma forma que ajude o cachorro a digerir o alimento com mais facilidade. Esse cuidado é necessário pois, conforme mencionado mais acima, os cães não tem um sistema digestivo capaz de processar alimentos de origem vegetal da mesma forma que o ser humano, e em geral, encontram maior dificuldade para digerir e absorver os nutrientes desses alimentos.

A melhor forma de oferecer as folhas de couve para os cães é triturando-as, até que virem uma "papa" ou um purê. Isso ajuda ao cão no processo digestivo, e certamente intensifica a capacidade de absorção dos nutrientes. O mais indicado no caso das  folhas de couve é triturá-las ainda cruas, para que não se perca parte dos nutrientes durante o cozimento. A couve, se oferecida em excesso, pode causar flatulência e até diarreia, portanto, assim como outros alimentos de origem vegetal, a quantidade oferecida deve ser moderada. Se o seu cachorro nunca comeu couve, a introdução dessa folha na alimentação regular deve ser gradativa.

Outra questão que sempre procuro enfatizar nos artigos sobre complementação alimentar é que esses ingredientes, por mais nutritivos e saudáveis que eles possam ser, não são indicados para os cães que se alimentam de rações comerciais. O motivo para isso que é as rações industrializadas são consideradas como um alimento completo, já balanceado do ponto de vista nutricional. Em casos como esse, a complementação é desnecessária e pode até mesmo ser prejudicial, há não ser que seja indicada por um veterinário. Quando falamos dos alimentos naturais que podem ser utilizados para as refeições caninas, estamos nos referindo às refeições caseiras, preparadas especialmente para os cães, com ingredientes frescos e selecionados.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.