sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Plantas venenosas para cachorros

Plantas venenosas para cachorros - As dúvidas relacionadas a alimentação dos cães acabam surgindo no nosso dia-a-dia, mas muitas vezes deixamos de lado uma questão de extrema importância, que é as plantas que temos em casa, nos vasos, no jardim, ou ainda nos lugares onde os levamos para passear. Algumas plantas podem, de fato ser venenosas para os cães, e o grau de toxicidade pode ser variado.


Plantas venenosas para cachorros
Plantas venenosas para cachorros

Muita gente tem me perguntado sobre as coisas que são consideradas mais perigosas se ingeridas por cães. Esse é um assunto de extrema importância quando falamos em animais de estimação, por diversos motivos. Em primeiro lugar, como qualquer proprietário de cães deve saber, o padrão de higiene dos cães é diferente do nosso. Eles lambem, cheiram e mordiscam quase tudo que encontram pela frente, não importando de são coisas encontradas no chão, na terra, na grama. Muitas vezes surpreendemos nossos amigões colocando as coisas mais inesperadas na boca, até pequenos insetos e outros animaizinhos encontrados no chão ou no jardim.

Plantas venenosas para cachorros
Plantas venenosas para cachorros

Pensando nisso, vou falar um pouco aqui no blog sobre as coisas que normalmente temos em casa e podem fazer mal aos cachorros. Nesse primeiro artigo, vou listar algumas das plantas mais comuns, que qualquer um pode ter em casa, e podem representar um risco real se ingerida por cães. Algumas dessas plantas venenosas para cachorros podem fazê-lo passar mal, sofrer de dores abdominais e diarreia, enquanto outras são muito mais tóxicas e podem representar um grande risco à saúde do seu cãozinho.

Plantas venenosas para cachorros


Algumas plantas que são consideradas tóxicas para cachorro não fazem parte da  lista de plantas que normalmente temos em casa. Vamos então falar um pouco sobre aquelas mais comuns, que qualquer um pode ter em vasos ou no jardim de casa e são consideradas plantas venenosas para cachorros e, muitas vezes, para outros animais domésticos também.


Lírio

Lírios

Todos os tipos de lírios são considerados tóxicos para animais de estimação. Essas plantas são consideradas ainda mais perigosos para os gatos, que podem sofrer danos renais graves mesmo se consumirem pequenas quantidades desse tipo de planta.

Lírio da Paz

Lírio da Paz

Com suas belas flores brancas, o Lírio da Paz é frequentemente utilizado para decoração, mas contém oxalato de cálcio, que é nocivo se ingeridos por cães. Podem causar irritação das mucosas, salivação excessiva, vômitos, dificuldade para engolir, irritação e queimação da boca, lábios e língua.

Tulipas

Tulipas

Os bulbos das tulipas são venenosas para os cães, pois contêm toxinas que podem causar intensa irritação gastrointestinal, salivação, perda de apetite, depressão do sistema nervoso central, convulsões e alterações cardíacas.

Rododendro - Azaleia

Azaleia / Rododendro

As plantas que formam a família dos rododendros contêm substâncias altamente tóxicas para os cães. Essas substâncias podem produzir vômitos, salivação intensa, diarreia, fraqueza, e depressão do sistema nervoso central. Nos casos mais graves, o envenenamento pode levar o animal a um estado de coma, podendo até mesmo levar à morte por colapso cardiovascular.

Oleandro

Oleandro

Conhecida também como flor-de-são-josé, ou ainda loureiro-rosa, esta planta é altamente tóxica se ingerida por cães. Todas as partes dessa planta são tóxicas, pois contêm uma toxina que tem potencial de causar efeitos muito graves à saúde de um cão, incluindo irritação do trato gastrointestinal, arritmia cardíaca, hipotermia, e nos casas mais graves até mesmo a morte.

Mamona

Mamona

Esta é mais uma planta extremamente perigosa para os cachorros. O princípio venenoso da mamona é a ricina, uma proteína altamente tóxica que pode causar fortes dores abdominais, salivação intensa, vômitos, diarreia, sede excessiva, fraqueza e perda de apetite. Os casos mais graves de intoxicação podem resultar em desidratação, espasmos musculares, convulsões, tremores, coma e até a morte do animal. A torta de mamona, produto utilizado como adubo também é extremamente tóxico.

Ciclame

Cíclame

O cíclame, conhecido popularmente como Ciclame ou Ciclame-da-pérsia é também um aplanta tóxica para pets. A maior concentração da substância considerada tóxica para os animais está na raiz da planta. Pode ocasionar irritação gastrointestinal significativa, incluindo vômitos frequentes. Alguns casas mais graves que acabaram em óbito já foram relatados.

Kalanchoe

Kalanchoe

Da família das Crassuláceas, esta é uma planta de origem africana, do gênero das suculentas. Apesar de produzirem lindas flores durante todo o ano, essas plantas contêm substâncias tóxicas para o coração, e podem afetar seriamente a frequência e o batimento cardíaco.

Teixo

Teixo

Originária da região mediterrânea esta é uma planta mais comum em Portugal do que no Brasil. Contém uma substância tóxica que afeta o sistema nervoso central, causando tremores, falta de coordenação motora e dificuldade para respirar. Também pode provocar irritação gastrointestinal e insuficiência cardíaca nos casos mais graves, podendo causar até a morte do animal.

Amarílis

Amarílis

Apesar da lindas flores, essa planta nativa da África do Sul também contém toxinas que podem causar vômitos, depressão, diarreia, dores abdominais, hipersalivação, anorexia e tremores.

Açafrão-do-prado

Açafrão-do-prado

Também conhecida como Açafrão-de-outono, essa planta de uso medicinal que produz lindas flores arroxeadas, também são consideradas altamente tóxicas se ingeridas por cães e outros animais de estimação. A ingestão acidental pode resultar em irritação das muscosas, vômitos com sangue, diarreia, choque anafilático, lesão severa dos órgãos internos e supressão da medula óssea.

Coroa-de-cristo

Coroa-de-cristo

Utilizada para decorar cercas e divisas de propriedades, essa é um planta popular que muita gente não sabe do potencial tóxico para os cães. Além dos espinhos serem pontudos e capazes de ferir animais de estimação, a seiva leitosa dessa planta causa irritações na pele e na mucosa, inchaço nos lábios, boca e língua, ardor e coceira. O contato com os olhos provoca irritações e inchaço nas pálpebras. A ingestão pode causar náuseas, vômito e diarreia.

Hera

Hera (Hedera helix)

Da família Araliaceae, essa trepadeira de origem europeia também são nocivas se ingeridas acidentalmente por animais de estimação. Pode causar vômitos, dor abdominal, salivação e diarreia.

Jiboia

Jiboia

A Epipremnum aureum, conhecida popularmente como Jiboia é uma trepadeira comum em jardins e se ingerida acidentalmente pode causar irritação das mucosas, inchaço das mucosas orais e em outras partes do trato gastrointestinal.

Schefflera

Schefflera

As scheffleras, popularmente conhecidas como Chefleras, são plantas de rápido crescimento, muito comuns em jardins e vasos. Assim como o lírio da paz, essa planta contém oxalato de cálcio, que pode causar irritação das mucosas, salivação excessiva, vômitos, dificuldade de engolir, e queimação intensa na boca.

Comigo-ninguém-pode

Comigo-ninguém-pode

Muito apreciada como planta ornamental para ambientes internos e também conhecida como aningapara, o comigo-ninguém pode também é tóxica para animais. A ingestão de qualquer parte dessa planta pode causar irritação na boca, edema nos lábios, língua e palato, queimação, salivação, esofagite, dificuldade para engolir, dores abdominais, náuseas e vômito.

Babosa - Aloe Vera

Babosa

O Aloe Vera, também chamado de babosa, apresenta diversos usos de suas propriedades medicinais, mas se você tem essa planta em casa é necessário manter os animais de estimação afastados. Se ingerida acidentalmente, a babosa pode ocasionar vômitos, diarreia, espasmos, depressão e alterações na cor da urina.


Importante: O conteúdo desse blog tem caráter meramente informativo, e em nenhuma circunstância, substitui a orientação de um veterinário, especialmente no caso de distúrbios de fundo alimentar, intoxicação, ou qualquer outra patologia relacionada à ingestão de alimentos ou outros produtos. Sempre que houver qualquer sintoma atípico com seu pet, leve-o imediatamente ao veterinário. Lembre-se que quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a chance de cura.